As Cervejas belgas Cantillon e 3 Fonteinen voltaram!

Post Image

Chegam em novembro de volta ao Brasil as cervejas belgas da Cantillon e da 3 Fonteinen. O lote é pequeníssimo e marca o retorno das marcas depois de mais de um ano. Já está certo que vai ter um lote maior para o início de 2018, mas se quiser garantir o melhor presente de Natal cervejeiro que se pode imaginar, seja rápido.

Da Cantillon, veio só a gueuze e apenas em barril. Da 3 Fonteinen, só Oude Gueuze, cem garrafas de 750 ml e 200 de 375 ml. No mesmo contâiner tem ainda Fantôme (Saison, Tonton Robert, Dalmatienne Blonde e Dark White, todas saisons, uma diferente da outra) e De Struise (Tseejes Reserva Bourbon Barrel Aged).

As 3 Fonteinen, no Empório Alto de Pinheiros, vão custar pouco mais de R$ 110 (375 ml) e R$ 180 (750 ml). As Fantômes, todas de 750 ml, ficarão por volta de R$ 100. E a Struise (330 ml), em torno dos R$ 65. As garrafas estarão à venda a partir da última semana de novembro.

JEAN E A CANTILLON

Por fora, a Cantillon é um galpão feioso num bairro sem graça e barulhento, em Bruxelas. Por dentro, tem um quê de museu misturado com Castelo Rá-Tim-Bum (se você curte Estúdio Ghibli, parece o Castelo Animado). Os equipamentos são antigos, têm poeira e teia de aranha para todo lado e os funcionários parecem membros de uma banda de indie. Tudo transborda charme, você percorre as saladas de fermentação e maturação seguindo um folheto entregue logo na entrada e termina em um balcãozinho para fazer a degustação das deliciosas cervejas produzidas ali. Do lado da degustação fica a lojinha, onde você pode comprar garrafas por preços inacreditáveis para quem está acostumado às cifras estratosféricas que podem pintar por aí (as cervejas são tão cobiçadas que chegam a valores absurdos em sites como eBay).

A cervejaria abre para visitas todos os dias exceto às quartas e domingos. O ingresso custa 7 euros e inclui a prova de três rótulos. Informações: cantillon.be/visites

ARMAND E A 3 FONTEINEN

A 3 Fonteinen fica perto de Bruxelas, em uma cidadezinha pequena e pacata chamada Lot. A cervejaria parece uma garagem com um jardim. E você fica procurando a casa. Não tem. Há apenas um escritório/estoque.

Tudo muito austero, tudo muito limpo, o tanque de fermentação, então novinho, é de inox. Não tem muito espaço para romantismo na 3 Fonteinen – isso até Armand Debelder entrar em cena. Ele não é o tipo romântico-charmoso, mas sim o estilo austero. Leva a produção da cerveja seguindo regras muito definidas – considera, por exemplo, um absurdo que a Cantillon envase gueuze em barris para serem tirados na pressão.

Claras, variam do amarelo ao alaranjado, e têm uma espuma branca, densa. São no geral bem carbonatadas, mas atenção, existem versões sem gás, caso da faro ou da straight lambic. No nariz, são uma viagem. A levedura selvagem traz muitos aromas para a cerveja: floral, de frutas amarelas, notas animais, de queijo, de vinho branco… O gosto é primordialmente ácido. E os sabores são complexos como o aroma. O lúpulo usado aqui é envelhecido de propósito para conservar a cerveja e não trazer notas intensas (não tem amargor do lúpulo). Resumindo: são complexas e refrescantes.

Escrito por

Jornalista formada pela PUC Campinas, apaixonada por Cultura, Comportamento, Enologia, Gastronomia, Beleza e Moda.